Entenda a classificação TIER dos módulos fotovoltaicos

Entenda a classificação TIER dos módulos fotovoltaicos

 

Quando você compra um módulo fotovoltaico / painel solar, você está efetivamente recebendo duas coisas: um produto físico que produz energia solar e uma promessa do fabricante de que este produto continuará a produzir determinada quantidade de energia durante sua vida útil garantida (geralmente 25 anos). As perguntas que você precisa fazer são:

  1. Que marca de módulo fotovoltaico você espera que dure o maior tempo em utilização possível e é provável que uma marca de módulo fotovoltaico gere mais energia por mais tempo do que outra marca; e
  2. Se houver um problema ao longo dos anos de utilização, qual a chance do fabricante respeitar a garantia?

Nos últimos anos surgiu na indústria solar, para tentar responder a essas perguntas, um sistema de classificação em níveis para fabricantes de módulos fotovoltaicos. Os termos “TIER 1”, “TIER 2” e “TIER 3” são frequentemente ouvidos em relação aos fabricantes de módulos fotovoltaicos. Este artigo examina o que esses termos significam na prática e como eles podem ajudá-lo a tomar uma decisão sobre à escolha dos módulos para seu sistema fotovoltaico.

Classificação TIER

É bastante frequente que o termo “TIER 1” seja usado por muitas empresas de vendas de equipamentos de energia solar para descrever seus painéis solares como sendo de alta qualidade. Na verdade estão incorretos. Este é um parâmetro de classificação, desenvolvido por instituições como a Pike Research e a Bloomberg New Energy Finance Corporation, que é usado para classificar os fabricantes de painéis solares em termos de capacidade bancária ou estabilidade financeira. Com absolutamente nenhum critério em termos de componentes e qualidade do painel solar, a classificação para TIER 1 é puramente uma medida de aceitação da indústria.

Na verdade, existem muitos exemplos documentados de problemas de qualidade ou falência dos fabricantes do TIER 1, razão pela qual, mesmo a Bloomberg New Energy Finance, os criadores do sistema TIER, dizem que sua lista não deve ser usada como indicador de qualidade.

A pirâmide abaixo fornece um vislumbre do mundo de como os fabricantes de módulos fotovoltaicos são classificados pelo sistema TIER pela Pike Research:

Sem título

Fonte: Pike Research.

Por ser tão conhecida esta pirâmide, vamos refletir sobre os critérios listados e por que você não deveria usá-lo como indicador de qualidade dos módulos fotovoltaicos. Para isso vamos avaliar a classificação TIER 1 no topo da pirâmide.

Integrado verticalmente

A integração vertical refere-se a fabricantes de energia solar que fabricam seus painéis desde o início. Isso significa que eles controlam tudo, desde a produção de células de silício, até a montagem do painel. A integração vertical é projetada para dar ao fabricante mais controle sobre sua cadeia de valor, resultando em produtos de maior qualidade. Embora seja óbvio, na teoria, não é incomum que fabricantes TIER 1 verticalmente integrados terceirizem parte de sua produção de painéis para fabricantes de painéis de níveis mais baixos. Então, enquanto você pensa que os painéis que você está comprando são de uma fábrica TIER 1, eles realmente poderiam estar vindo de uma fábrica com uma linha de montagem manual inferior e um controle de qualidade muito menos rigoroso.

Investe fortemente em P & D (Pesquisa e Desenvolvimento)

Para se tornar TIER 1, o fabricante do painel solar deve investir uma quantidade substancial de tempo e dinheiro na pesquisa e desenvolvimento de seus produtos e processos. A ideia é que esse investimento levará a uma melhor qualidade e maior inovação. Embora concordemos que o investimento em pesquisa e desenvolvimento é altamente valioso, a definição do que exatamente constitui “investimento pesado” não está clara. Um fabricante pode gastar 10 vezes mais do que outro em P & D, e ainda pode ser classificado no mesmo nível.

Automatização Avançada dos Processos

Todos os painéis solares TIER 1 devem ser produzidos através de técnicas de fabricação altamente automatizadas. Isso é projetado para garantir que os painéis sejam de um padrão extremamente alto de qualidade, consistência e confiabilidade. No entanto, apenas porque um fabricante possui linhas de produção automatizada, não significa que eles não reduziram custos em componentes mais baratos que compõem o painel. Isso inclui EVA, conectores, caixas de junção e molduras. É por isso que mesmo os painéis TIER 1 podem sofrer com delaminação, microfissuras, ingressos de humidade, conector e falhas da caixa de junção tipicamente associadas a painéis baratos e de nível inferior.

Fabricação de Módulos Fotovoltaicos por mais de 5 anos

Enquanto um histórico de mais de cinco anos fala sobre a longevidade da empresa e sua capacidade de corrigir possíveis pedidos de garantia futura, tem muito pouco a ver com a qualidade real de cada painel individual.

Conclusão

Os 3 níveis comprovam a estabilidade financeira do fabricante, aspecto importante em grandes projetos que envolvem financiamento bancário, afim de comprovar que o fabricante tem capacidade de atender as garantias no período de vida útil do equipamento. Na Europa a classificação do fabricante é um fator determinante na liberação do financiamento para os projetos.
TIER 1 inclui 2% dos fabricantes solares fotovoltaicos avaliados pela Bloomberg New Energy Finance. Tratam-se de fabricantes de módulos fotovoltaicos de alta eficiência que possuem produção própria por pelo menos 5 anos, bem como controle total de cada etapa do processo de fabricação (além de ciclo produtivo robotizado e completamente automático) e fornecimento para pelo menos três grandes projetos distintos nos últimos 2 anos, que foram financiados por três bancos diferentes.
TIER 2 tratam-se de fabricantes que forneceram painéis para alguns projetos com financiamento bancário, possuem uma boa reputação na indústria e pouco ou nenhum investimento em desenvolvimento de produtos, além de uma produção parcialmente robotizada e mais  recente (pouco mais de 2 anos).
TIER 3 tratam-se de fabricantes que apenas realizam a montagem dos módulos fotovoltaicos, não realizando nenhum investimento em desenvolvimento de produto, com linha de produção manual e nenhuma intercorrência  de financiamentos de projetos.

 

Referências : Fabiano Passos Via Delta S., Energia Total

Por: Filipe Heringer – Engenheiro de Energia da Sol Lar